CONEXÃO RÚSSIA – Rostov-do-Don, a cidade dos cossacos

Rostov-do-Don, capital da província de mesmo nome no sul da Rússia, foi onde o Brasil estreou na Copa do Mundo, em um jogo meio amargo com placar de 1×1, contra a Suíça, no último 17 de junho.

A cidade tem cerca de um milhão de habitantes e é um importante centro comercial, industrial e de transportes, devido ao Porto do Rio Don, que banha a cidade.

Rostov-do-Don é considerada a “capital mundial dos serial killers” e tem apelidos como “cidade da morte” ou “casa dos maníacos”. De acordo com o que se sabe, a partir dos dados da polícia local, entre 1987 e 1999, trinta e quatro assassinos em série foram presos na região.

É de lá o mais famoso serial killer russo – Andrei Chikatilo. Conhecido como O açougueiro de Rostov ou Estripador Vermelho, confessou 58 assassinatos e foi condenado à morte em 1994.

Mas a cidade não vive às custas dessas mórbidas referencias, que sequer são divulgadas pelo turismo local.

Em Rostov são fortes as tradições dos cossacos, uma classe militar conhecida desde meados do séc. XVI, que foi importante para a expansão russa. Na região do Don se encontrava o maior exército de cossacos do país. É comum a organização festas temáticas sobre a cultura e tradição dos cossacos, tais como competições de montaria de cavalos.

Copa do Mundo 2018

A Arena Rostov foi construída para a Copa, com capacidade aproximada de 45 mil pessoas. Foi projetada em 2011, mas só começou a ser construída em 2014. Sua inauguração aconteceu no dia 15 de abril de 2018, dois meses antes de seu primeiro jogo no mundial, com um jogo entre FC Rostov x SKA Khabarovski.

O custo da construção da Arena foi de 19,8 bilhões de rublos (mais de R$1 bilhão) e virou a nova casa do Rostov FC depois da Copa do Mundo.

A Arena recebeu cinco jogos, sendo quatro da fase de grupos, e uma oitava de final. Nenhuma grande goleada, e em minha humilde opinião, na fase de grupos, o melhor jogo foi entre Islândia e Croácia.

Nas oitavas, o Japão deu um susto na Bélgica, e deixou os espectadores de boca aberta. Mas a Bélgica levou a melhor, e infelizmente, mandou o Brasil de volta para casa no jogo subsequente.

Os jogos que aconteceram na Arena Rostov foram:

Fase de Grupos:

17 de junho 2018 – Brasil 1 x 1 Suiça

20 de junho 2018 – Uruguai 1 x 0 Arábia Saudita

23 de junho 2018 – Coreia 1 x 2 México

26 de junho 2018 – Islândia 1 x 2 Croácia

Oitavas de Final:

2 de julho 2018 – Bélgica 3 x 2 Japão

Veja o vídeo da cidade feito pela FIFA:

Como chegar em Rostov-do-Don?

A cidade fica a 1.109km de Moscou, de onde saem voos regulares partindo dos aeroportos de Domodedovo, Vnukovo e Sheremetyevo em direção ao Internacional de Rostov do Don. O voo tem duração aproximada de duas horas. A média de preço é de cerca de R$500.

Já para ir de trem, saindo da Estação Kazansky, de Moscou, a viagem tem duração de aproximadamente 17 horas. Os trens são diretos, e partem diariamente.

Há ainda como ir de ônibus, saindo também de Moscou, da Estação de ônibus Orekhovo, ou da estação de metrô Komsomolskaya. A viagem também leva por volta de 17 horas.

O que fazer em Rostov-do-Don?

Rua Bolshaya Sadovaya – É a rua principal da cidade, onde ficam o prédio da Câmara Municipal, o Rostov State Musical Theatre (um dos maiores teatros do país), a casa Margarita Chernova (uma mansão considerada patrimônio cultural da região), e outros prédios históricos.

Museu Regional de História Local de Rostov – É um dos maiores museus do sul da Rússia. Mostra a natureza, cultura e história da região.

Museu Regional de Artes Plásticas de Rostov – Contém mais de seis mil pinturas, esculturas e objetos de arte aplicada, com muitas obras de artistas russos.

Catedral da Natividade da Santíssima Virgem Maria – Réplica da Catedral de Cristo Salvador de Moscou. A Catedral permaneceu fechada urante os tempos soviéticos. Durante a Grande Guerra Patriótica, as camadas superiores da torre do sino foram arruinadas, pois temiam que o inimigo usasse essa estrutura como ponto de referência para os ataques aéreos. Somente em 1999, a torre foi restaurada.

Igreja de Santa Cruz – Templo mais antigo de Rostov, que foi construído entre 1786 e 1792. A Igreja Apostólica Armênia está localizada na região Voroshilovskiy Rayon, em uma colina próxima ao Rio Don.

Rua Pushkin – Batizada em homenagem a um dos maiores poetas da literatura russa, Alexandre Pushkin. Nessa rua, além de um monumento em homenagem ao escritor, é possível visitar o Museu Memorial Sabina Spielrein, o Parque Gorky e o Parque da Revolução de Outubro, alguns dos mais famosos pontos turísticos da cidade.

Rua Gazetny – Rua com muitos bares, restaurantes e tavernas, com destaque para a vida noturna agitada.

Memorial Stele – Erguido sobre a praça central de Rostov-do-Don para comemorar a libertação da cidade das tropas nazistas

O que comer em Rostov-do-Don?

A culinária na cidade é composta de uma grande variedade de peixe, devido à sua proximidade com o rio. Uma espécie de churrasco chamado shashlik, feito com pedaços de carne de porco ou de carneiro, intercaladas com cebola, também é tradicional.

Há a famosa sopa Borsch, que é preparada com beterraba e servida com nata e batatas cozidas, e os Kotleti, um tipo de bolinho de carne, e o Kurnik, uma torta feita com massa de crepe e carne de frango.

Eu que sou enjoada pra comer, achei essa culinária até que tranquila, hein?!

Mesmo após a Copa do Mundo, ainda sobrou vontade de conhecer a terra dos cossacos.

Thayz Figueiredo

Thayz Figueiredo

Professora de Educação Física e Psicóloga. Gosta das histórias dos lugares e das pessoas. Ama shows de rock, livros e um bom hambúrguer.

More Posts