Avenida Paulista a pé – O que fazer e como conhecer

O primeiro post do Walking Around SP não podia ser outro, senão sobre a Avenida Paulista.

Resolvi criar essa série porque, mesmo tendo nascido em São Paulo e vivido aqui praticamente durante toda a vida, demorei muitos anos para explorar e me apaixonar por cada cantinho dessa caótica metrópole. Percebo que isso é bastante comum, principalmente nos grandes centros urbanos, já que a gente acaba dando prioridade a conhecer lugares com maior atrativo de belezas naturais, como praias e montanhas.

Eu adoro a natureza, claro, mas minha alma é cosmopolita! =) Por isso, vou apresentar aqui no blog, em posts separados por regiões da cidade, o que de mais especial vocês podem encontrar na minha Selva de Pedras. Sejam muito bem vindos a São Paulo.

AVENIDA PAULISTA

A Avenida Paulista é, sem dúvidas, um dos lugares mais importantes de São Paulo.

Além de ser um dos principais centros financeiros da cidade, é também um dos seus pontos turísticos mais visitados. A avenida tem grande importância econômica, cultural e de entretenimento, pois lá estão sedes de empresas, bancos, hotéis, hospitais, consulados, instituições científicas, culturais e educacionais, além de shoppings e centros de compra.

É provavelmente o lugar com maior diversificação cultural de São Paulo, e é também um importante eixo viário da cidade.

Foi projetada pelo engenheiro uruguaio Joaquim Eugênio de Lima, no final do século XIX, e sua inauguração aconteceu em 08/12/1891. Tinha por objetivo receber as mansões dos barões de café que buscavam fugir da área central da cidade, e foi a primeira via pública a ser asfaltada em São Paulo, em 1909.

Seu nome seria Avenida das Acácias ou Prado de São Paulo, mas o engenheiro decidiu que seria Avenida Paulista, em homenagem aos nativos.

Avenida Paulista
Avenida Paulista

Mas esse perfil residencial permaneceu somente até o início da década de 1950, quando prédios institucionais começaram a se instalar mais afastadas do centro. Então os casarões começaram a ser substituídos por arranha-céus, e a Paulista não parou mais de crescer.

Apesar de toda essa grandiosidade, a avenida é relativamente curta, com 2,8km de extensão. Resolvi então fazer um roteiro com o que tem de mais interessante para se ver por lá. Se liga aí embaixo 😉

COMO CHEGAR E COMO SE LOCOMOVER

A forma mais fácil de chegar é utilizando o metrô. Três estações da linha 2-verde estão localizadas na avenida: Brigadeiro, Trianon-Masp e Consolação. Na rua da Consolação, que fica em na extremidade final da Avenida Paulista, está a estação Paulista, da linha 4-amarela.

Estação Brigadeiro
Estação Brigadeiro

E aí temos o eterno paradigma paulistano: Por que a estação Consolação é na Paulista, e a Paulista é na Consolação??? Rs.

Mas também existem muitos ônibus que passam por lá, e você ainda pode ir de carro facilmente. Só fique atento com o dia, pois aos domingos, e datas comemorativas específicas a Paulista fica fechada para circulação de veículos.

Para andar por lá, o ideal é usar as solas do sapato mesmo. Mas você também pode usar bicicletas, pois há ciclovias por todo o percurso, e as Yellow estão espalhadas por todo lugar, é só pegar uma e pedalar.

O QUE FAZER NA AVENIDA PAULISTA?

Começaremos esse roteiro pelo final da avenida, na extremidade mais próxima da Rua da Consolação (mas você pode fazer seu passeio na ordem que preferir).

Instituto Moreira Salles

Localizado no nº 2424 da Avenida Paulista, está o Instituto Moreira Salles, que é um centro cultural administrado pela família Moreira Salles, e tem por objetivo promover, formar, e desenvolver acervos de programas culturais nas áreas de fotografia, literatura, iconografia, artes plásticas, música e cinema.

A nova sede do IMS foi inaugurada em 2017, e abrange seis mil metros quadrados distribuídos em nove andares. O espaço conta com três salas de exposição, um cineteatro, espaço de estudos, salas de aula para palestras e cursos, café e restaurante.

Tem também uma vista bem bacana para a avenida e Consolação.

Funciona de 3ª a dom – das 10:00h às 20:00h. (de 5ª fecha às 22:00h). Entrada gratuita.

Paróquia São Luís Gonzaga

É uma igreja católica da Ordem Jesuíta, que foi inaugurada em 1935. Possui estilo greco-romano, e seu pórtico foi inspirado no Templo de Erecteion, em Atenas, na Grécia.

Rua Augusta

Calçadão Urbanoide
Calçadão Urbanoide – boa pedida para comer um lanche na R. Augusta

A Rua Augusta corta a Avenida Paulista, ligando os Jardins ao centro da cidade.

No Baixo Augusta, que vai da Paulista até a Praça Roosevelt, há enorme variedade de lanchonetes, botecos, boates, e um clima mais underground.

Na outra metade, que vai da Paulista aos Jardins, a Augusta é mais sofisticada, com restaurantes, lojas e butiques de alto nível. Você pode aproveitar e visitar a Rua Oscar Freire, um dos endereços mais nobres do comércio de São Paulo.

Conjunto Nacional

Um dos primeiros edifícios modernos e multifuncionais de São Paulo. Usado como centro comercial de serviços e lazer.

Tem galerias, lojas, mercado, restaurantes, cinema, empresas e escritórios, e a maior livraria da América Latina, a Livraria Cultura. Vale a pena dar uma passadinha por lá, só para conhece-la.

Livraria Cultura
Livraria Cultura

Center 3

Pequeno shopping em frente ao Conjunto Nacional. Costuma ter uma feirinha na sua entrada aos fins de semana. Eu e Cacau temos o hábito de deixar uns trocados por lá, em troca de anéis, e outros acessórios. Rs.

Palacete Franco de Melo

Parece só uma casa abandonada, que pode até passar despercebida. Mas o Palacete da família Franco de Melo, no nº 1919 da Paulista, é o único remanescente da primeira fase residencial da avenida.

A casa ocupa um terreno de 4720m², e o imóvel possui 35 cômodos internos, além de uma grande área verde particular. Uma pena que está totalmente descuidada, mas é linda.

Parque Mario Covas

Foi inaugurado em 2010, e pode ser uma parada para descanso no seu passeio. Possui bicicletário e um Centro de Informações Turísticas.

Nesse espaço ficava a “Villa Fortunata”, residência do intelectual das letras René Thiollier. A casa foi palco de encontros, saraus, e jantares da elite intelectual paulistana (costumavam frequentá-la Anita Malfatti, Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, e Monteiro Lobato, por exemplo).

Aberto todos os dias das 7:00h às 18:00h.

Parque Trianon

Fauno - Parque Trianon
Fauno – Parque Trianon

O parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Parque Trianon, foi inaugurado pouco depois da abertura da Avenida Paulista.

Fica aberto todos os dias da semana, das 6:00h às 18:00h, e possui vegetação remanescente da Mata Atlântica, playground, e a “Trilha do Fauno”, devido à escultura “Fauno” do artista Victor Brecheret, que tem lá.

MASP

Do outro lado da avenida, está um dos mais famosos museus da cidade, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – MASP.

Foi inaugurado em 1947, e possui a mais importante e abrangente coleção de arte ocidental da América Latina.

No acervo, de aproximadamente oito mil peças, e que cobre desde o século XIX ao século XX, há obras dos mais renomados artistas brasileiros, e de artistas famosos estrangeiros (como Renoir, Van Gogh, Goya).

O prédio é um dos mais populares ícones paulistas, e é tombado por três instancias de proteção ao patrimônio. O museu também abriga uma das maiores bibliotecas especializadas em arte do país.

MASP
MASP

O vão livre do MASP tem vida própria: nele acontece apresentações, manifestações, a famosa feirinha de antiguidades aos fins de semana, e toda sorte de eventos.

Aberto de 3ª a dom. das 10:00h às 18:00h (na 3ª fecha às 20:00h). Funciona normalmente nos feriados, exceto Natal (24 e 25/12) e Ano Novo (31/12 e 01/01).

Ingressos: R$35,00 (R$17,00 meia entrada). Menores de 10 anos não pagam. Na 3ª feira a entrada é gratuita.

Mirante 9 de Julho

Mirante 9 de Julho
Eu e Isa no Mirante 9 de Julho

Dando a volta no MASP, você vai encontrar o Mirante 9 de Julho. Espaço que ficou abandonado desde a inauguração do túnel da Avenida 9 de Julho, em 1938. Era para ter sido um mirante, um salão, um observatório, e acabou não se transformando em nada, durante 76 anos.

Renasceu recentemente como um espaço multicultural, com café, restaurante, e onde diferentes iniciativas podem dialogar, como arte urbana, projetos musicais, exibições de filmes ao ar livre, feirinhas, etc. E claro, tem uma vista legal da avenida lá embaixo.

Centro Cultural FIESP

O Centro Cultural FIESP é uma construção em formato de pirâmide no nº 1313 da Avenida Paulista.

Palco de manifestações, shows, exposições e teatros, tem um espaço de cinco mil metros, que oferece cultura e arte. Também conta com café e livraria.

Funciona de 3ª a sáb, das 10h às 22h, e domingo, das 10 às 20h.

Prédio da Gazeta

Prédio da Gazeta
Gazeta

Sede da TV e Teatro Gazeta, e da Fundação Casper Libero. Um ícone da Avenida Paulista. Também abriga o Cine Reserva Cultural, que exibe filmes fora do circuito comercial. A chegada da Corrida de São Silvestre acontece em frente a este prédio.

Livrarias FNAC e Martins Fontes

Em frente à Gazeta, há mais uma importante livraria: A FNAC. E mais adiante, em frente ao metrô Brigadeiro, está a Martins Fontes. Já deu para perceber que quem gosta de livros não passa fome na Paulista né?!

Instituto Pasteur

Na esquina da Rua Maria Figueiredo, no nº 393, há uma construção de 1930, onde está o Instituto Pasteur, referência no estudo da raiva.

Escola Estadual Rodrigues Alves e Hospital Santa Catarina

Escola Estadual Rodrigues Alves
Escola Estadual Rodrigues Alves

Na esquina da Rua Teixeira da Silva, no nº 227, está um prédio tradicional e muito bonito que abriga a Escola Estadual Rodrigues Alves, e do outro lado da avenida, o Hospital Santa Catarina, onde esta que vos escreve veio ao mundo. =)

Lá você pode visitar a Capela Santa Catarina, inaugurada em 1920, os Jardins das Rosas, em sua entrada, e algumas passagens da vida da Santa retratadas pelo pintor italiano Marco Ulgheri, em afrescos de 1988.

Hospital Santa Catarina
Hospital Santa Catarina visto de cima

Itaú Cultural

Concebido por Olavo Egydio Setubal, tem por objetivo incentivar, promover, e pesquisar linguagens artísticas e eventos culturais, e preservar o patrimônio cultural do país.

Geralmente recebe até duas exposições temporárias, e tem seu acervo permanente no 4º e 5º andar, com documentos, imagens, e artigos históricos do Brasil.

Aberto de 3ª a 6ª das 9:00h às 20:00h, e sab, dom, e feriados das 11:00h às 20:00h. Entrada gratuita.

Itaú Cultural
Itaú Cultural

SESC Paulista

O prédio de 17 andares é o mais novo queridinho da Paulista. Além da programação variada oferecida pelo SESC, há no ultimo andar, um mirante panorâmico com uma vista incrível de toda a região.

Aberto de 3ª a sab das 10:00h às 22:00h, e dom e feriados das 10:00h às 19:00h.

Mirante SESC Paulista
Mirante SESC Paulista

Japan House

A Japan House é um centro cultural dedicado à cultura nipônica, que foi construído pela comunidade japonesa em São Paulo. A ideia é propagar as características do Japão, desde a cultura milenar até as perspectivas inovadoras.

O edifício tem três andares, que conta com atrações gratuitas voltadas à arte, gastronomia e tecnologia.

Japan House
Japan House

Horário de funcionamento: 3ª a sáb: das 10h às 22h / Dom e feriados: das 10h às 18h

Casa das Rosas

Casa das Rosas
Casa das Rosas

Casarão em estilo clássico francês, dedicado a diversas manifestações culturais, com enfoque em literatura e poesia. É um dos poucos remanescentes da ocupação inicial da avenida. É tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Artístico, Arquitetônico e Turístico, e foi restaurado diversas vezes. 

De lá, se vê bem de frente o Oscar Niemeyer do pintor Eduardo Kobra.

Funciona de 3ª a sáb, das 10h às 22h; dom e feriados, das 10h às 18h
(passível de mudança, de acordo com a programação).

Encerrando o passeio pela Avenida Paulista, você pode conhecer mais um shopping, o Pátio Paulista. Ou comer algo na famosa lanchonete Ponto Chic, que fica ao lado, onde o bauru foi inventado.

Se ainda tiver pique, você pode seguir em direção à estação Paraíso, e conhecer a Catedral Ortodoxa, ou à Vergueiro, e conhecer o Centro Cultural São Paulo. Dali você pode se aventurar facilmente pelo bairro da Liberdade.

As atividades sugeridas nesse roteiro têm custo total de apenas R$35,00, referentes à entrada do MASP. Ou seja, um passeio de baixo custo, e cheio de cultura e entretenimento.

Vou deixar aí o mapinha, e espero que aproveitem o tour. 😉

Thayz Figueiredo

Thayz Figueiredo

Professora de Educação Física e Psicóloga. Gosta das histórias dos lugares e das pessoas. Ama shows de rock, livros e um bom hambúrguer.

More Posts